livros1

 

EinsteinAlbert Einstein, um dos maiores génios da humanidade, nasceu no seio de uma família judia no dia 14 de março de 1879.

No chamado Ano Miraculoso de Einstein, em 1905, publicou quatro trabalhos revolucionários: o efeito fotoelétrico, o movimento Browniano, a relatividade especial e a equivalência entre massa e energia, E=mc2, conhecida como "a mais famosa equação do mundo".

Entre muitos feitos extraordinários, os seus estudos em mecânica quântica e o desenvolvimento da teoria da relatividade geral, são tidos como os mais importantes para a física moderna. Aliás, a sua teoria da gravitação, de 1916, juntamente com a teoria da relatividade, continha previsões que cientistas do mundo inteiro têm vindo a comprovar. Ainda recentemente, os americanos da NASA ficaram maravilhados com a descoberta de ondas gravitacionais, exatamente 100 anos após as iniciais previsões de Einstein.

Em 1921 foi laureado com o Prémio Nobel da Física. Einstein era uma celebridade mundial e corria o mundo em palestras e conferências científicas: Japão, Singapura, Argentina, Brasil, Palestina, Estados Unidos da América, Inglaterra, etc. 

Quando Adolf Hitler chegou ao poder na Alemanha, em 1933, Einstein estava no Estados Unidos e não voltou para o seu país de origem, obtendo inclusivamente a cidadania americana em 1940. Como resultado dos seus avisos ao presidente americano Franklin Roosevelt do perigo da Alemanha desenvolver a bomba atómica, os Estados Unidos iniciaram o Programa Manhattan, disponibilizando imensos recursos financeiros e científicos, e tornaram-se o único país a desenvolver a bomba atómica durante a segunda guerra mundial. Sendo um pacifista, reconheceu o seu erro mas sempre se desculpou pelo perigo de serem os alemães de Hitler a conseguirem a primeira bomba atómica.

Morreu no dia 18 de abril de 1955, vítima de aneurisma, em Princeton, nos Estados Unidos. Escolheu não ser enterrado, mas sim cremado apesar de contrário aos costumes judeus, pois não queria tornar o seu túmulo em local de visita turística. O seu cérebro foi removido algumas horas após a sua morte, para ser estudado e preservado.

(a partir de: wikipédia)